Dicas

Imagem de Doenças respiratórias na infância: Bronquiolite Viral Aguda
Doenças respiratórias na infância: Bronquiolite Viral Aguda (29/10/2015) A fisioterapia respiratória no tratamento da bronquiolite viral aguda

 

Doenças respiratórias na infância: Bronquiolite Viral Aguda

 

Autoras: Márcia Manfé e Denize Bernardi (Acadêmicas do curso de Fisioterapia da Univali)

Professora responsável: Fabiola Hermes Chesani

A bronquiolite viral aguda é uma das doenças mais frequentes do sistema respiratório (inflamação nos bronquíolos) agravado pelo acúmulo de muco (secreção), isso dificulta a passagem do ar. Acometendo mais neonatos, lactentes e crianças até os três anos de idade, com predomínio nos seis primeiros meses de vida, afetando mais os recém-nascidos prematuros nascidos com problemas cardíacos ou pulmonares e aqueles com deficiência no sistema imunológico podendo necessitar de internação hospitalar. Ocorre predominantemente nos meses de outono e inverno.

A mãe deve observar se a criança apresentar respiração rápida e difícil, coriza, febre, tosse, sibilância além de dificuldade para mamar.

A fisioterapia respiratória no tratamento da bronquiolite viral aguda tem como objetivo a desobstrução brônquica, a desinsuflação pulmonar e o recrutamento alveolar, por meio de diversas técnicas como posicionamento, expiração lenta prolongada (ELPR), aumento do fluxo expiratório lento (AFEL), vibração manual e quando necessário aspiração das vias aéreas.

Dicas fisioterápicas para prevenção das doenças respiratórias:

  • Vacinação principalmente no caso da gripe;
  • Devem-se evitar lugares fechados, aglomerações de pessoas e contato com quem estiver gripado;
  • Manter os ambientes bem ventilados;
  • A higiene das mãos e do nariz;
  • Sono de qualidade e uma baixa a agentes tóxicos, como os do cigarro;
  • Manter os ambientes de casa livres de poeira e mofo é útil para prevenir crises da doença quando ela está vinculada a processos alérgicos.

 

Quando o problema respiratório já se instalou. Orientações:

  • Fazer repouso;
  • No caso de secreção o fisioterapeuta atua na higiene brônquica;
  • Procurar o médico se os sintomas se agravarem.

 

Referências:

CASTRO, Giselle. Análise dos sintomas, sinais clínicos e suporte de oxigênio em pacientes com bronquiolite antes e após fisioterapia respiratória durante a internação hospitalar. Rev Paul Pediatr, 2011. http://www.scielo.br/pdf/rpp/v29n4/20.pdf

POSTIAUX, Guy. Fisioterapia respiratória pediátrica: o tratamento guiado por ausculta pulmonar. 2º ed. Artmed, Porto Alegre. 2004.